Art'n
'Enquanto a história conta o que aconteceu, a arte, simplesmente acontece!'
Últimos assuntos
» dayane graunke
Seg Set 19, 2016 9:27 am por Professor Cesar

» atividades do Everton
Seg Set 19, 2016 9:26 am por Professor Cesar

» atividades do Everton
Seg Set 19, 2016 9:25 am por Professor Cesar

» Atividades da Jessica
Seg Set 19, 2016 9:24 am por Professor Cesar

» atividades do Carlos
Seg Set 19, 2016 9:24 am por Professor Cesar

» Atividades de Hingred
Seg Set 19, 2016 9:23 am por Professor Cesar

» atividade do Carlos
Seg Set 19, 2016 9:23 am por Professor Cesar

» Atividade do Kaio
Seg Set 19, 2016 9:22 am por Professor Cesar

» Atividade de Dayane
Seg Set 19, 2016 9:22 am por Professor Cesar

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Estatísticas
Temos 2201 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de karlasoares

Os nossos membros postaram um total de 15250 mensagens em 2514 assuntos
Votação
Dezembro 2016
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Calendário Calendário

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Furl  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de Art'n em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de Art'n em seu site de social bookmarking


Recuperaçao do Caique 06 3°G

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:21 pm

Recuperaçao do Caique 06 3°G

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:27 pm




Surgimento da Dança
A Dança é a arte de mexer o corpo, através de uma cadência de movimentos eritmos, criando uma harmonia própria.A história da dança retrata que seu surgimento se deu ainda na Pré-História,quando os homens batiam os pés no chão. Aos poucos, foram dando maisintensidade aos sons, descobrindo que podiam fazer outros ritmos, conjugandoos passos com as mãos, através das palmas.O surgimento das danças em grupo aconteceu através dos rituaisreligiosos, em que as pessoas faziam agradecimentos ou pediam aos deuses osol e a chuva. Os primeiros registros dessas danças mostram queelas surgiram no Egito, há dois mil anos antes de Cristo.Hoje em dia as danças voltaram-se muito para o lado da sensualidade, sendomais divulgadas e aceitas por todo o mundo. Nos países do Oriente Médio adança do ventre é muito difundida; e noBrasil,o funk e o samba são populares.Além desses, o strip-tease tem tido grande repercussão, principalmente seunido à dança inglesa, pole dance, também conhecida como a dança do cano.Sem música não há dança. Sem movimento corporal também não. A dança,portanto, apenas ocorre quando o corpo executa movimentos a partir de umdeterminado ritmo.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:29 pm

Cubismo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Farm-Fresh picture frame.png
História da arte
Por período
Pré-história[Expandir]
Antiguidade[Expandir]
Idade Média[Expandir]
Idade Moderna[Expandir]
Arte moderna[Expandir]
Arte contemporânea[Expandir]
Por expressão artística

   Arquitetura
   Pintura
   Escultura - Design
   Literatura - Música
   Teatro
   Cinema

v • e

Cubismo é um movimento artístico que surgiu no século XX, nas artes plásticas, tendo como principais fundadores Pablo Picasso e Georges Braque e tendo se expandido para a literatura e a poesia pela influência de escritores como Guillaume Apollinaire, John dos Passos e Vladimir Maiakovski.1 O quadro "Les demoiselles d'Avignon", de Picasso, 1907 é conhecido como marco inicial do Cubismo.2 Nele ficam evidentes as referências a máscaras africanas, que inspiraram a fase inicial do cubismo, juntamente com a obra de Paul Cézanne.

O Cubismo tratava as formas da natureza por meio de figuras geométricas, representando as partes de um objeto no mesmo plano. A representação do mundo passava a não ter nenhum compromisso com a aparência real das coisas.2

Historicamente o Cubismo originou-se na obra de Cézanne, pois para ele a pintura deveria tratar as formas da natureza como se fossem cones, esferas e cilindros. Entretanto, os cubistas foram mais longe do que Cézanne. Passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É como se eles estivessem abertos e apresentassem todos os seus lados no plano frontal em relação ao espectador.2 Na verdade, essa atitude de decompor os objetos não tinha nenhum compromisso de fidelidade com a aparência real das coisas.1

O pintor cubista tenta representar os objetos em três dimensões, numa superfície plana, sob formas geométricas, com o predomínio de linhas retas. Não representa, mas sugere a estrutura dos corpos ou objetos.1 Representa-os como se movimentassem em torno deles, vendo-os sob todos os ângulos visuais, por cima e por baixo, percebendo todos os planos e volumes.


Última edição por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:36 pm, editado 1 vez(es)

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:32 pm

Introdução

O dadaísmo foi um movimento artístico que surgiu na Europa (cidade suiça de Zurique) no ano de 1916. Possuía como característica principal a ruptura com as formas de arte tradicionais. Portanto, o dadaísmo foi um movimento com forte conteúdo anárquico. O próprio nome do movimento deriva de um termo inglês infantil: dadá (brinquedo, cavalo de pau). Daí, observa-se a falta de sentido e a quebra com o tradicional deste movimento.

Características principais do dadaísmo:

- Objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico;

- Irreverência artística;

- Combate às formas de arte institucionalizadas;

- Crítica ao capitalismo e ao consumismo;

- Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica;

- Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas;

- Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.

Principais artistas dadaístas

- Tristan Tzara
- Marcel Duchamp
- Hans Arp
- Julius Evola
- Francis Picabia
- Max Ernst
- Man Ray
- Raoul Hausmann
- Guillaume Apollinaire
- Hugo Ball
- Johannes Baader
- Arthur Cravan
- Jean Crotti
- George Grosz
- Richard Huelsenbeck
- Marcel Janco
- Clement Pansaers
- Hans Richter
- Sophie Täuber

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:37 pm

Significado de Perspectiva

s.f. Modo tridimensional de representação; técnica que ocasiona uma projeção tridimensional dos objetos sobre uma superfície plana.
O produto desenvolvido a partir dessa técnica.
Tudo o que se consegue ver ao longe; aquilo que os olhos alcançam desde um certo lugar; panorama.
Aquilo que se percebe externamente; aparência.
Modo como se concebe ou se analisa uma situação específica; ponto de vista.
Sensação esperançosa; expectativa: a perspectiva de um bom emprego deixava-a feliz.
(Etm. do latim: perspectiva.ae)

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:40 pm

Introdução

A Pop Art, abreviatura de Popular Art, foi um movimento artístico que se desenvolveu na década de 1950, na Inglaterra e nos Estados Unidos. Foi na verdade uma reação artística ao movimento do expressionismo abstrato das décadas de 1940 e 1950.

Crítica à cultura de massa

Os artistas deste movimento buscaram inspiração na cultura de massas para criar suas obras de arte, aproximando-se e, ao mesmo tempo, criticando de forma irônica a vida cotidiana materialista e consumista. Latas de refrigerante, embalagens de alimentos, histórias em quadrinhos, bandeiras, panfletos de propagandas e outros objetos serviram de base para a criação artística deste período. Os artistas trabalhavam com cores vivas e modificavam o formato destes objetos. A técnica de repetir várias vezes um mesmo objeto, com cores diferentes e a colagem foram muito utilizadas.

Materiais usados

Os materiais mais usados pelos artistas da pop art eram derivados das novas tecnologias que surgiram em meados do século XX. Gomaespuma, poliéster e acrílico foram muito usados pelos artistas plásticos deste movimento.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:42 pm

O Que é Logomarca?

Logomarca é todo elemento visual que identifica e diferencia de outros iguais ou semelhantes, ou certifica a conformidade dos mesmos com determinadas normas ou especificações técnicas. Quanto à origem, marcas podem ser brasileiras ou estrangeiras, quanto ao uso, podem ser de produtos, de serviços, coletivas ou e de certificação.

Tanto a "marca" (um símbolo), o "logotipo" (letras) e as "logomarcas" (símbolo+logotipo), todos são marcas e atendem a públicos diversos, como profissionais liberais, empresas, associações, produtos, eventos, etc.

No mercado competitivo moderno e atual, baseado cada vez mais em signos visuais e de design, uma boa logomarca é fundamental na diferenciação, reconhecimento e visibilidade de um empreendimento.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:44 pm

Expressionismo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Farm-Fresh picture frame.png
História da arte
Por período
Pré-história[Expandir]
Antiguidade[Expandir]
Idade Média[Expandir]
Idade Moderna[Expandir]
Arte moderna[Expandir]
Arte contemporânea[Expandir]
Por expressão artística

Arquitetura
Pintura
Escultura - Design
Literatura - Música
Teatro
Cinema

v • e
Fränzi perante uma cadeira talhada (1910), de Ernst Ludwig Kirchner, Museu Thyssen-Bornemisza, Madrid.

O expressionismo foi um movimento artístico e cultural de vanguarda surgido na Alemanha no início do século XX, transversal aos campos artísticos da arquitetura, artes plásticas, literatura, música, cinema, teatro, dança e fotografia. Manifestou-se inicialmente através da pintura, coincidindo com o aparecimento do fauvismo francês, o que tornaria ambos os movimentos artísticos os primeiros representantes das chamadas "vanguardas históricas". Mais do que meramente um estilo com características em comum, o Expressionismo é sinónimo de um amplo movimento heterogéneo, de uma atitude e de uma nova forma de entender a arte, que aglutinou diversos artistas de várias tendências, formações e níveis intelectuais. O movimento surge como uma reacção ao positivismo associado aos movimentos impressionista e naturalista, propondo uma arte pessoal e intuitiva, onde predominasse a visão interior do artista – a "expressão" – em oposição à mera observação da realidade – a "impressão".

O expressionismo compreende a deformação da realidade para expressar de forma subjectiva a natureza e o ser humano, dando primazia à expressão de sentimentos em relação à simples descrição objetiva da realidade. Entendido desta forma, o expressionismo não tem uma época ou um espaço geográfico definidos, e pode mesmo classificar-se como expressionista a obra de autores tão diversos como o holandês Piet Zwiers, Matthias Grünewald, Pieter Brueghel, o Velho, El Greco ou Francisco de Goya. Alguns historiadores, de forma a estabelecer uma distinção entre termos, preferem o uso de "expressionismo" – em minúsculas – como termo genérico, e "Expressionismo" – com inicial maiúscula – para o movimento alemão.1

Através de uma paleta cromática vincada e agressiva e do recurso às temáticas da solidão e da miséria, o expressionismo é um reflexo da angústia e ansiedade que dominavam os círculos artísticos e intelectuais da Alemanha durante os anos anteriores à Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e que se prolongaria até ao fim do período entre-guerras (1918-1939). Angústia que suscitou um desejo veemente de transformar a vida, de alargar as dimensões da imaginação e de renovar a linguagem artística. O expressionismo defendia a liberdade individual, o primado da subjectividade, o irracionalismo, o arrebatamento e os temas proibidos – o excitante, diabólico, sexual, fantástico ou perverso. Pretendeu ser o reflexo de uma visão subjectiva e emocional da realidade, materializada através da expressividade dos meios plásticos, que adquiriram uma dimensão metafísica, abrindo os sentidos ao mundo interior. Muitas vezes visto como genuína expressão da alma alemã, o seu carácter existencialista, o seu anseio metafísico e a sua visão trágica do ser humano são características inerentes a uma concepção existencial aberta ao mundo espiritual e às questões da vida e da morte. Fruto das peculiares circunstâncias históricas em que surge, o expressionismo veio revelar o lado pessimista da vida e a angústia existencialista do indivíduo, que na sociedade moderna, industrializada, se vê alienado e isolado.

O expressionismo não foi um movimento homogéneo, coexistindo vários polos artísticos com uma grande diversidade estilística, como a corrente modernista (Munch), fauvista (Rouault), cubista e futurista (Die Brücke), surrealista (Klee), ou a abstracta (Kandinsky). Embora o seu maior polo de difusão se encontrasse na Alemanha, o expressionismo manifestou-se também por meio de artistas provenientes de outras partes da Europa como Modigliani, Chagall, Soutine ou Permeke, e no continente americano como, por exemplo, os mexicanos Orozco, Rivera, Siqueiros e o brasileiro Portinari. Na Alemanha existiram dois grupos dominantes: Die Brücke (fundado em 1905), e Der Blaue Reiter (fundado em 1911), embora tenha havido artistas independentes e não afiliados com nenhum dos grupos. Depois da Primeira Guerra Mundial surge a Nova Objetividade que, embora tenha sido uma reação ao individualismo expressionista e procurasse a função social na arte, a sua distorção das formas e o seu intenso colorido fazem do grupo um herdeiro directo da primeira geração expressionista.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sex Jul 18, 2014 8:46 pm

Indústria cultural
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Wifiservice.svg
Comunicação
Tipos[Expandir]
Meios[Expandir]
Profissões[Expandir]
Disciplinas[Expandir]
Conceitos[Expandir]
Elementos[Expandir]
Temas e Questões[Expandir]
Tecnologia[Expandir]
Escolas[Expandir]
Categoria
v • e

O termo indústria cultural (em alemão Kulturindustrie) foi criado pelos filósofos e sociólogos alemães Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973), a fim de designar a situação da arte na sociedade capitalista industrial1 .

Membros da Escola de Frankfurt, os dois filósofos alemães empregaram o termo pela primeira vez no capítulo O iluminismo como mistificação das massas no ensaio Dialética do Esclarecimento, escrita em 1942, mas publicada somente em 19472 .

Para os dois pensadores, a autonomia e poder crítico das obras artísticas derivariam de sua oposição à sociedade. No entanto, o valor contestatório dessas obras poderiam não mais ser possível, já que provou ser facilmente assimilável pelo mundo comercial3 . Adorno e Horkheimer afirmavam que a máquina capitalista de reprodução e distribuição da cultura estaria apagando aos poucos tanto a arte erudita quanto a arte popular. Isso estaria acontecendo porque o valor crítico dessas duas formas artísticas é neutralizado por não permitir a participação intelectual dos seus espectadores4 .

A arte seria tratada simplesmente como objeto de mercadoria, estando sujeita as leis de oferta e procura do mercado3 . Ela encorajaria uma visão passiva e acrítica do mundo ao dar ao público apenas o que ele quer, desencorajando o esforço pessoal pela posse de uma nova experiência estética. As pessoas procurariam apenas o conhecido, o já experimentado. Por outro lado, essa indústria prejudicaria também a arte séria, neutralizando sua crítica a sociedade.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sab Jul 19, 2014 9:04 am

O que é Jingle:

Jingle é um termo inglês cujo significado refere-se à música composta para promover uma marca ou um produto em publicidades de rádio ou televisão.

O jingle publicitário é criado para cativar o público. Geralmente tem letras e melodias simples para que sejam facilmente memorizadas e inconscientemente recordadas por quem as ouve. Os jingles são geralmente curtos, quando muito, chega a um minuto de duração.

Jingle também é o ato de fazer algo tilintar ou soar. Por exemplo, o tilintar das chaves seria dito em inglês jingle of keys. Esse tilintar muitas vezes é o som que resulta do choque entre dois metais. O jingle é frequentemente descrito como o som de sinos, como está descrito na famosa música natalícia conhecida como Jingle Bells.

Também existem jingles políticos, usados para que os políticos sejam reconhecidos perante os eleitores.

Jingles famosos
Um dos mais famosos jingles brasileiros é de um comercial da Guaraná Antárctica, com a inesquecível letra Pipoca com Guaraná. Mesmo passados muitos anos, há quem se recorde da música:

“Pipoca na panela
Começa a arrebentar
Pipoca com sal
Que sede que dá
Pipoca e guaraná
Que programa legal
Só eu e você
E sem piruá!
Que tal?
Quero ver pipoca pular
(pipoca com guaraná)
Eu quero ver pipoca pular
(pipoca com guaraná)
Quero ver pipoca pular, pular
Soy loca por pipoca e guaraná
Ah, ah, Guaraná!”

Existem outros jingles bastante famosos, como o "Adoro Pizza com Guaraná", da Antárctica, o do leite Parmalat (sobre os animais), e o do MacDonald's: "Dois hambúrgueres, alface, queijo molho especial, cebola e picles no pão com gergelim."

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por caique tartaia n em Sab Jul 19, 2014 9:13 am

Kitsch [quitch] é um termo de origem alemã de significado e aplicação controversos. Usualmente é empregado nos estudos de estética para designar uma categoria de objetos vulgares, baratos, de mau gosto, sentimentais, que copiam referências da cultura erudita sem critério e sem atingirem o nível de qualidade de seus modelos, e que se destinam ao consumo de massa. Embora o kitsch apresente a si mesmo como "profundo", "artístico", "importante" ou "emocionante", raramente estes qualificativos são adquiridos por características intrínsecas ao objeto, antes derivam de associações externas que seu público estabelece. É uma expressão essencialmente figurativa, sendo difícil detectá-lo nas artes abstratas, pois depende de um conteúdo narrativo para exercer seu efeito.2

Alguns autores entendem o kitsch como uma atitude e um espírito geral de complacência e supressão do senso crítico, que pode se estender a áreas bem distintas da arte, como a política, a religião, a economia, o erotismo e praticamente toda a esfera da vida humana, e sua estética, de enorme penetração na psicologia das massas, muitas vezes é usada pelas elites para dirigir a opinião pública, seja na forma de publicidade comercial, educação escolar, propaganda partidária ou iconografia religiosa.

É um produto da industrialização e da cultura de massa, sendo considerado típico da classe média com pretensões de ascensão social, mas nos círculos ilustrados emprega-se o termo frequentemente com intenção pejorativa e como reprovação moral. Entretanto, o kitsch é um fenômeno de largo alcance, movimenta uma indústria milionária e para grande número de pessoas constitui, mais do que uma simples questão de gosto, todo um modo de vida, tendo para este público todos os atributos da legitimidade. Apareceu de forma importante também na produção de muitos artistas influentes do "grande circuito", e quase toda a arte, arquitetura e design pós-modernos apresentam características que podem ser classificadas como kitsch. Hoje em dia a tradicional distinção entre ele e a cultura erudita dificilmente se sustenta em bases objetivas.
Etimologia, origens, primeiros estudos[editar | editar código-fonte]
A palavra "kitsch" tem uma origem pouco clara. Segundo o dicionário etimológico de Friedrich Kluge, a palavra surgiu entre pintores alemães em torno de 1870. Talvez estivesse associada ao ato de atravancar, amontoar detritos ou barro nas ruas, kitschen, e ao instrumento com que isso era feito, Kitsche. No dialeto do sul da Alemanha significava também fazer móveis novos a partir de velhos. Também poderia estar ligada à palavra verkitschen, que significa trapacear, vender uma coisa no lugar de outra. Outras palavras alemãs com a mesma terminação "tsch" comumente se referem a coisas vulgares, ingênuas, sentimentais ou infantis. Richard Avenarius relatou outra origem possível, indicando ter aparecido em Munique a partir da palavra inglesa sketch, esboço, aplicado a pinturas baratas de baixa qualidade na intenção de classificá-las como "lixo". Para Gilbert Highet, contudo, a palavra pode derivar do russo kitchit'sya, significando "ser desdenhoso e orgulhoso", e já foi aventado que seja um trocadilho com o termo francês chic, chique. O que importa é saber que desde sua origem kitsch assumiu uma conotação negativa.
Alguns críticos, como Abraham Moles, Arthur Koestler e Susan Sontag, entendem que o kitsch é um fenômeno recorrente na história da arte, mas a maior parte dos estudos concorda que se trata de uma manifestação cultural recente, derivando dos avanços na industrialização e na tecnologia em geral, da ascensão da classe média, da crescente urbanização, do afluxo em massa dos camponeses às cidades, da dissolução das culturas tradicionais e dos folclores, da maior educação do proletariado, da conquista de maior tempo para o lazer e do surgimento da chamada cultura de massa. Gillo Dorfles afirmou que os pressupostos da definição atual de kitsch não existiam na arte pré-moderna, que tinha funções e características em tudo distintas da modernidade, e Hermann Broch considerou-o um filho do Romantismo, compartilhando com ele traços como sentimentalismo e amor ao drama e ao exagero, e definindo beleza como uma característica imanente ao objeto, não mais como era antes, um objetivo transcendente que uma obra finita jamais poderia alcançar.10 Mesmo que algo como o kitsch possa de fato ter existido antes do século XIX, foi a partir deste período que ele passou a assumir um papel de destaque no mundo da cultura, chegando a estar presente hoje em toda parte.

O primeiro estudo a respeito foi realizado por Fritz Karpfen (Der Kitsch: eine Studie über die Entartung der Kunst, 1925), onde o conceito recebeu o significado de degenerado, sendo usado em seguida pelos nazistas para informar sua política repressora sobre a arte de vanguarda. Walter Benjamin iniciou seus estudos sobre o kitsch no final da década de 1920, continuando-os até os anos 1940. Para ele, kitsch era uma abordagem que dissolvia a distinção entre arte e objeto utilitário, tendo características que anulavam o distanciamento respeitoso invocado pela arte e favoreciam um senso de intimidade sentimental, apelando para a gratificação imediata do público e para o consumo fácil, sem exigir um esforço de elaboração intelectual a respeito do objeto. Theodor Adorno, trabalhando na mesma época, identificou sua origem na cultura de massa e na industrialização, e Norbert Elias escreveu um importante ensaio em 1935, The Kitsch Style and the Age of Kitsch, onde delineou uma cronologia e disse que o kitsch não é definível em relação a qualquer norma estética atemporal e nem pelo gosto da elite, sendo uma falsa categoria estética de uma sociedade que perdeu a confiança em seu próprio estilo.14 Hans Reimann participou do debate com seu Das Buch vom Kitsch (1936) e Clement Greenberg escreveu em 1939 o artigo Avant-Garde and Kistch, condenando o uso político do kitsch pelos nazistas e afirmando a natureza irreconciliável da oposição entre o kitsch e a arte de vanguarda, definindo o estilo como "a arte da cópia" e das "sensações falsas". Greenberg foi uma notável exceção nos estudos sobre a matéria, que foram desenvolvidos quase exclusivamente por alemães até os anos 70. Embora a definição de Benjamin tivesse se tornado dominante neste intervalo, de acordo com Wilfried Menninghaus sua importante contribuição é muitas vezes negligenciada pelos pesquisadores mais recentes.

caique tartaia n
Sub Level
Sub Level

Mensagens : 11
Data de inscrição : 20/05/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por Professor Cesar em Seg Jul 21, 2014 10:42 am

Mais pesquisa,...
sintetizar textos/corrigir. Postar no máximo dois parágrafos de informação por tema. Arrow Arrow Arrow Arrow 

Professor Cesar
Art 'n' CELC Admin
Art 'n' CELC Admin

Mensagens : 1815
Data de inscrição : 22/05/2010
Localização : CWB

Ver perfil do usuário http://artn.highforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Recuperaçao do Caique 06 3°G

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 6:35 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum