Art'n
'Enquanto a história conta o que aconteceu, a arte, simplesmente acontece!'
Últimos assuntos
» dayane graunke
Seg Set 19, 2016 9:27 am por Professor Cesar

» atividades do Everton
Seg Set 19, 2016 9:26 am por Professor Cesar

» atividades do Everton
Seg Set 19, 2016 9:25 am por Professor Cesar

» Atividades da Jessica
Seg Set 19, 2016 9:24 am por Professor Cesar

» atividades do Carlos
Seg Set 19, 2016 9:24 am por Professor Cesar

» Atividades de Hingred
Seg Set 19, 2016 9:23 am por Professor Cesar

» atividade do Carlos
Seg Set 19, 2016 9:23 am por Professor Cesar

» Atividade do Kaio
Seg Set 19, 2016 9:22 am por Professor Cesar

» Atividade de Dayane
Seg Set 19, 2016 9:22 am por Professor Cesar

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Estatísticas
Temos 2201 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de karlasoares

Os nossos membros postaram um total de 15250 mensagens em 2514 assuntos
Votação
Dezembro 2016
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Calendário Calendário

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Furl  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de Art'n em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de Art'n em seu site de social bookmarking


Atividade Virtual 4: Arte no Século XX - Síntese

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Atividade Virtual 4: Arte no Século XX - Síntese

Mensagem por Professor Cesar em Qua Mar 21, 2012 11:30 am

Atividade Virtual 4: Arte no Século XX - Síntese





Dadaísmo

Futurismo

Cubismo

Surrealismo

Arte Metafísica


Para
cada tema mencionado acima faça uma postagem com imagens de obras e
artistas relacionados e síntese com curiosidades (fatos) ou
características.

Postar imagens e síntese relacionada ao tema. 'Isto deve ser feito no seu tópico' (tópico próprio e personalizado).

Professor Cesar
Art 'n' CELC Admin
Art 'n' CELC Admin

Mensagens : 1815
Data de inscrição : 22/05/2010
Localização : CWB

Ver perfil do usuário http://artn.highforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Atividade Virtual 4: Arte no Século XX - Síntese

Mensagem por jenifer_jeni10_3d2s2 em Qui Mar 29, 2012 7:20 pm

dadaísmo.
Movimento artístico que se desenvolveu em seguida do Cubismo, e que se caracterizou pela negação dos valores tradicionais, pregando o fim da cultura e a reconstrução do mundo (niilismo). Criaram-no o poeta Tristan Tzara, os escritores Hugo Ball e Richard Hülsenbeck e o pintor Hans Arp, os quias fundariam em Zurique o Carbaret Voltaire, clube destinado à manifestções artísticas de vanguarda. Arp ficaria sendo o representante mais típico do movimento , nessa sua fase suiça.


Futurismo.
Na literatura, o futurismo é basicamente um tema que destacou a beleza do mundo moderno: as máquinas, o ruído, cidade, velocidade, fábricas, arranha-céus, aviões, multidões urbanas em movimento ...
Foi um tema que já havia tentado o americano Walt Whitman e "poetas malditos" do simbolismo francês, como Baudelaire. Mas Marinetti beleza (devedor Nietzsche) não está vinculada à violência, o mal, o movimento ea força são sinais positivos de novas pessoas e os homens do futuro.
Os futuristas, que amam o instinto e força, desprezava tudo o romântico e sentimental, simbolizado por eles na lua (tapa para a lua) e em cidades como Veneza, cuja destruição procurou em 1910. Igualmente desprezam a sensibilidade (que considerava uma característica de fraqueza feminina) e inteligência. Esse desprezo da inteligência futurista será ridicularizado pela criacionista V. Huidobro
instante fugaz interesse, tudo leva a desprezar todos os tipos de museus de arte tradicionais, exposições, catedrais, universidades ... Neste sentido, é também uma história dos dadaístas.



Cubismo.
O cubismo rompeu radicalmente com a idéia de arte como imitação da natureza, prevalecendo na pintura e na escultura européias desde a Renascença. Picasso e Braque abandonaram as noções tradicionais de perspectiva, escorço e modelagem tentando representar solidez e volume numa superfície bidimensional, sem converter pela ilusão a tela plana num espaço pictórico tridimensional.

Na medida em que representavam objetos reais, procuravam figurá-los como eram conhecidos e não segundo a aparência que tomavam num determinado momento e lugar. Assim múltiplos aspectos do objeto eram figurados simultaneamente; as formas visíveis eram analisadas e transformadas em planos geométricos que eram recompostos segundo vários pontos de vista simultâneos. Neste sentido o cubismo era e dizia ser realista, mas tratava-se de um realismo conceitual, e não óptico ou impressionista.
O movimento era resultado da visão intelectualizada, mais do que da visão espontânea. O Cubismo nasceu com o quadro Les Demoiselles d'Avignon, pintura de Picasso (1907), MOMA, de Nova York, com suas formas angulosas e fragmentadas. Cézanne tinha sido a última ligação ao estilo impressionista e a admiração que Picasso nutria pelo pintor era óbvia. A arte do séc XX, para o qual os impressionistas prepararam o caminho, seguiu vias diferentes.
O cubismo além de ter sido uma das fontes principais da arte abstrata, era infinitamente adaptável, e gerou outros movimentos, como o futurismo, o orfismo, o purismo e o vorticismo.



Surrealismo.
O Surrealismo nasceu em 1924 com o fim do Movimento Dadá. Na verdade, o Surrealismo foi uma evolução Dadaísta que não foi aceita por todos os artistas.
Desde então comandado por André Breton nasceu o Surrealismo, sobre grande influência do Dadaísmo, mas com algumas diferenças. O Surrealismo não era anárquico e muito menos irônico.
Como grande herança do Dadaísmo o Surrealismo trabalhou com o automatismo com influência das teorias psicanalíticas de Freud que estudava a interpretação do inconsciente. Para os artistas Surrealistas, o automatismo ou acaso revelaria a verdadeira natureza individual de quem a praticasse de um modo mais completo; do que em outra criação consciente. O objetivo surreal publicado em um manifesto era abranger pela arte todo o espectro da atividade humana, explorando a psique e englobando além do inconsciente o sonho. Os artistas surreais acreditavam que os sonhos eram a imaginação em seu estado primitivo e uma expressão pura do “maravilhoso”.
O principal interesse do Surrealismo foi a poesia, filosofia e a política; mas foi através das artes plásticas que ele se tornou conhecido pelo grande público.
Na pintura surreal muitas vezes predominava a técnica ilusionista, não sendo necessariamente o registro de um sonho. Muitas delas tinha o que Freud chamou de “labor do sonho”, isto é, a existência de elementos contrários lado a lado, o uso dos objetos que tem valor simbólico ocultando freqüentemente um significado sexual e a condensação de dois ou mais objetos ou imagens.
MAGRITTE, SALVADOR DALÍ, JUAN MIRÓ, MARX ERNEST forma alguns dos artistas notáveis deste movimento. Durante a 2ª Guerra Mundial muitos mudaram para os E.U.A onde ajudaram a plantar sementes dos movimentos americanos pós-guerra como: O Expressionismo, Abstrato e a Pop Art.


Arte Metafísica .
Poucas vezes pude presenciar uma exposição tão interessante quanto a “De Chirico, um sentimento da arquitetura”, que estava em cartaz na Fundação Iberê Camargo. Raro momento para observar o mestre da chamada pintura metafísica no Brasil, a mostra consegue proporcionar uma noção significativa sobre o trabalho do artista. A destacar sua contribuição singular e diria fundamental para a história da arte ao misturar reflexões sobre filosofia, psicanálise e história, conhecer o trabalho de De Chirico é fundamental.
A composição do espaço no trabalho de De Chirico estabelece uma relação interessante com a arquitetura da Fundação. Comparar os quadros do artista com a criação de Álvaro Siza é uma viagem pela história da arte e da arquitetura, que nos mostra uma relação fundamental do confronto entre o clássico x moderno, industrial x humano na composição do contemporâneo. Certo então é que no teor estético, De Chirico antecipou muito do surrealismo e misturou com referenciais das narrativas fantásticas. Suas representações metafóricas, hora esteticamente mais conservadoras, ora mais transgressoras, trazem sempre o confronto entre clássico e moderno
As figuras de De Chirico transitam por uma cidade síntese, por espaços vazios e não têm identidade. São extensões das próprias incertezas do advento de uma sociedade moderna, industrial e do “abandono” da tradição e do clássico.





jenifer_jeni10_3d2s2

Mensagens : 3
Data de inscrição : 15/09/2010
Idade : 22

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum